Código de ética

O Código de Ética da HCN fornece um conjunto de normas e diretrizes que orientam as ações e a conduta das pessoas que praticam o Coaching em relação a seus clientes, sua profissão e estudo de Coaching.

Todos os Coaches formados pela HCN acatam e respeitam este Código como um requisito para o Coaching. Este Código sempre estará sujeito às leis do país onde o Coach exerce a sua atividade.

A finalidade deste Código de Ética é prover orientação a todos os Coaches da HCN.

Nesse sentido, a HCN:

  1. Tem como missão constituir-se numa Organização que promova a difusão das atividades de Desenvolvimento Humano e Liderança Organizacional em todas as suas formas, tanto para indivíduos como para Organizações.
  2. Visa ser considerada uma Organização de prestígio, posicionando-se como Líder Internacional, proporcionando experiência de aprendizagem – presencial e on-line – em modelos inovadores do desenvolvimento do comportamento humano.
  3. Tem como objetivo zelar para que o exercício do Desenvolvimento Humano e Liderança Organizacional satisfaça os requisitos da ética de acordo com os padrões da HCN.

 

Cláusula Primeira: Âmbito de Aplicação

Artigo 1º

O cumprimento do presente Código é obrigatório para todos os Coaches da HCN, quer sejam sócios ativos, dirigentes ou honorários.

Artigo 2º

O presente Código aplica-se às ações e conduta dos Coaches que tenham relação direta com atividades de Coaching ou possam afetar a reputação da atividade no país.

Artigo 3º

Na aplicação, cumprimento e interpretação do presente Código deve-se sempre considerar que a atividade de Coaching deve ser constantemente orientada pelos princípios de Respeito e Responsabilidade.

 

Cláusula Segunda: Obrigações Éticas dos Coaches

Artigo 4º

Os Coaches são obrigados a cumprir pelo menos as seguintes normas éticas relativas à reputação da atividade:

 

  1. A conduta dos Coaches nas suas atividades comerciais e de Coaching deverá contribuir para criar, promover ou manter o prestígio da atividade na sociedade.
  2. Abster-se de realizar conscientemente declarações, que se revelem falsas, em apresentações públicas ou documentos escritos relacionados com a atividade.
  3. Quando prestando serviços de Coaching a terceiros, os Coaches deverão ter consciência dos seus problemas pessoais e da forma como estes possam influenciar os seus clientes. Se necessário, o Coach deverá obter ajuda externa de natureza apropriada. Caso tais problemas possam afetar negativamente os seus clientes, o Coach deverá suspender imediata e unilateralmente os seus serviços pelo tempo em que os mesmos perdurarem.
  4. Desenvolver as suas atividades de pesquisa, informando e obtendo autorização prévia das pessoas envolvidas, preservando sempre o bem-estar dos participantes, mesmo que a sua autorização tenha sido obtida.
  5. Desenvolver as suas atividades de pesquisa, reconhecendo, em conformidade com a verdade, a contribuição de todos os possíveis autores e colaboradores.
  6. Abster-se de participar publicamente de atividades que desacreditem a atividade e de julgamentos adversos à atuação ou competência de outros Coaches. Caso considere que o bem-estar de terceiros possa estar seriamente comprometido e isso justifique a emissão de tais julgamentos ou intervenção de ordem judicial, o Coach deverá informar previamente, ou o mais breve possível, o Conselho Diretivo da HCN.
  7. Na primeira sessão com um novo cliente ou de um novo processo, assegurar-se de que existe acordo e de que o cliente compreende as condições práticas e econômicas, os objetivos e a metodologia, e as limitações da atividade e da confidencialidade.
  8. Respeitar o direito do cliente de interromper o processo de Coaching a qualquer momento ou sessão do mesmo.

 

Artigo 5º

Os Coaches são obrigados a cumprir pelo menos as seguintes normas éticas de responsabilidade:

  1. Estabelecer prévia e claramente para cada relação de Coaching as condições da mesma. É altamente recomendável fazer constar tais condições, de modo que seja útil para resolver eventuais dúvidas e para facilitar o cumprimento harmonioso dos compromissos de todas as partes.
  2. Estabelecer clara e previamente os honorários que receberá como compensação pela realização da sua atividade.
  3. Cumprir integralmente os contratos de Coaching firmados ou acordados com terceiros.
  4. Cumprir integralmente as suas obrigações profissionais, comerciais e financeiras. O não cumprimento desta norma será considerado particularmente grave quando os compromissos não cumpridos forem em relação a outro Coach ou profissional de Coaching.
  5. Caso venha a constatar que o cliente não se beneficia do plano de Coaching em andamento, o Coach é obrigado a informá-lo e propor ou recomendar, para o seu benefício, outra pessoa ou recurso em lugar do plano de Coaching.
  6. Assistir competentemente o cliente nos seus compromissos e objetivos, a menos que os mesmos constituam infrações a normas legais vigentes no País. Caso o Coach tenha dúvidas a respeito da legalidade dos objetivos e compromissos do cliente, antes de continuar a sua atividade, deverá consultar profissionais ou o Conselho Diretivo da HCN.
  7. Manter registros das suas atividades, tomando todas as providências necessárias para assegurar a sua confidencialidade.
  8. Informar as autoridades no caso do cliente expressar alguma séria intenção com determinação e premeditação de ameaça à sua vida ou de terceiros.
  9. Evitar possíveis conflitos de interesse entre os seus próprios e os de seus clientes. Caso algum venha a se manifestar, deverá informar imediatamente o cliente e solucioná-lo, ou suspender temporária ou definitivamente as atividades. Caso o cliente opte por uma solução ou pela suspensão temporária ou indefinida, o Coach só poderá aceitar tal opção ou suspender indefinidamente os serviços.
  10. Não se comprometer com outros resultados além dos que possa responsavelmente garantir.
  11. Só aceitar remuneração ou compensação não monetárias quando a natureza das mesmas não prejudicar de modo algum os objetivos almejados pelo cliente ou o desempenho do Coach.

Artigo 6º

Os Coaches são obrigados a cumprir pelo menos as seguintes normas éticas de respeito:

  1. Manter o conteúdo das conversas e correspondência mantidas com os seus clientes em absoluto sigilo e reserva. Os Coaches só poderão utilizar tais conteúdos quando o fizerem com reserva da pessoa e das suas principais características, e quando tiverem certeza absoluta de que o cliente não poderá ser identificado por terceiros. Para tanto, o Coach deverá tomar todas as providências necessárias a fim de assegurar a confidencialidade das suas conversas. O mencionado anteriormente é aplicável salvo autorização prévia e por escrito do cliente.
  2. Requerer e obter a autorização de cada cliente antes de utilizar o seu nome como referência.
  3. Desenvolver o seu trabalho com respeito pelo cliente e sua liberdade.
  4. Manter formas de contato físico na relação Coach-cliente em conformidade com os padrões sociais de cada País.
  5. Abster-se completamente de manter relações sexuais com qualquer um dos seus clientes.
  6. Abster-se de aproveitar qualquer aspecto da relação com o cliente para o seu benefício econômico particular.
  7. No caso dos serviços de Coaching serem contratados e/ou pagos por um terceiro, que não seja o cliente, todas as normas do presente código serão sempre aplicadas primeiramente em benefício das pessoas que são objeto da atividade do Coach. Caso o terceiro, acima mencionado, solicite informações sobre o cliente, o Coach é obrigado a obter a prévia autorização do cliente. 

Artigo 7º

Todas as normas anteriores são obrigatórias para todos os Coaches da HCN.

 

Cláusula Terceira: Da Competência

Artigo 8º

Nenhum órgão da HCN WORLD poderá punir um Coach por razões éticas sem que seja constatada a infração de pelo menos uma das obrigações contidas nos artigos 4º, 5º e 6º. As infrações a estas obrigações constituem “faltas de ética”.

Artigo 9º

As denúncias apresentadas contra os Coaches serão averiguadas pelo Conselho Diretivo da HCN.

O Presidente do Conselho Diretivo convocará e, conforme as disponibilidades, estabelecerá a programação das sessões que conduzirá, e ordenará as notificações que serão realizadas pelo Conselho Administrativo.

Artigo 10º

Os membros do Conselho Diretivo poderão se declarar impedidos, ou ter o impedimento levantado pelas partes, somente com base em interesse direto comprovado, parentesco direto ou relação de matrimônio com alguma das partes. Em qualquer caso o membro do Conselho somente será dispensado se assim for determinado pelo Presidente.

Artigo 11º

Caso faltem membros do Conselho Diretivo por qualquer razão, inclusive de impedimento, e assim não se alcançar um número mínimo de três membros com direito a voto, o Presidente completará tantos quantos forem necessários até alcançar tal número. Para tanto, o Presidente fará uso da lista, que elaborará especialmente para esse fim imediatamente após cada Assembleia Geral, contendo cinco nomes de sócios com as contribuições em dia.

 

Cláusula Quarta: Do Procedimento

Artigo 12º

O Conselho Administrativo e seu Presidente terão o dever de garantir um procedimento racional e justo. O Conselho Administrativo poderá solicitar assessoria ao Conselho Acadêmico em relação ao Coach em questão (ver Regulamento do aluno da HCN).

Artigo 13º

Durante o processo não se poderá interpor nenhum recurso, mas as partes poderão solicitar retificações de erros de fato, por escrito, no prazo de cinco dias.

Não caberá recurso contra a resolução final.

Artigo 14º

O procedimento será reservado e o processo será mantido sob custódia, inclusive depois de concluído, de modo que só terão acesso ao mesmo os membros do Conselho Diretivo, o pessoal especialmente autorizado, o autor da denúncia e o denunciado.

Artigo 15º

Com exceção da denúncia, o procedimento será oral e será realizado no menor tempo possível, começando pela audiência de ratificação da denúncia e exame de admissibilidade, e prosseguindo com a audiência de conciliação. Caso esta não ocorra, proceder-se-á à oitiva das partes e recebimento das provas que elas forneçam.

Far-se-á constar resumidamente no processo o registro de todas as ações.

As denúncias só serão tramitadas quando formuladas por escrito, identificando claramente as partes e fornecendo o domicílio do autor da denúncia para efeito de notificações.


Artigo 16º

As denúncias serão recebidas pelo Presidente do Conselho Administrativo, que fará a entrega formal da denúncia ao Conselho Diretivo.